11
jun
2013
6

SINERGIA dos ESTEROIDES (DUDU)

Já é de grande conhecimento que você pode construir ciclos poderosos combinando drogas diferentes ao invés de escolher apenas uma droga, e existem inúmeras maneiras de montar um ciclo eficiente com base no princípio da sinergia. Nesse artigo vou explorar mais a fundo essa ideia, de modo que montar um ciclo poderoso e inteligente fique mais fácil.
Os esteroides anabolizantes podem ser agrupados de diferentes maneiras de acordo com suas características distintas e semelhanças. Podemos agrupá-los por famílias, classes (Bill Roberts), atividade (progestinas, 17AA, SHBG, etc), finalidade (cutting, bulk). Conhecendo cada grupo torna fácil entender porque certas combinações de esteroides são muito poderosas, enquanto outras podem tornar seu ciclo um fracasso (embora em altas doses ciclos ineficientes funcionarão de qualquer maneira, e isso é muito comum mesmo entre atletas da elite).

1) FINALIDADE (Bulk, Cutting):
Prefiro não fazer uma distinção das drogas nesse grupo uma vez que você pode ajustar o uso de determinada droga de acordo com outros métodos que usar durante o ciclo (antiestrogênicos, dieta). Então é fundamental conhecer o perfil de cada droga antes de iniciar um ciclo e montá-lo da maneira mais eficiente para seu objetivo. A chave aqui é o quanto a retenção de água e a queima de gordura vão ser uma preocupação para você. Sabendo disso você saberá que
droga escolher. Em geral as drogas mais eficazes para ciclos BULK são: testosterona (principalmente as de meia-vida longa como enantato, cipionato e durateston), nandrolona (deca ou fenilpropionato), boldenona, dianabol, hemogenin, trembolona, turinabol. Para ciclos de definição as mais eficazes em geral são: testosterona (principalmente as de meia-vida curta como propionato e fenilpropionato), stanozolol, trembolona, oxandrolona, masteron, primobolan, boldenona, proviron, halotestin. Não existe uma regra, você pode usar drogas usuais de bulk em ciclos cutting e vice-versa, só dei exemplos do que das drogas mais usuais para cada objetivo, considerando retenção de água (aromatização), queima de gordura e poder anabólico.

2) FAMÍLIAS DE ESTEROIDES:
Os esteróides anabolizantes podem ser divididos em 3 famílias distintas, de acordo com sua derivação direta (testosterona, nandrolona ou DHT), e essa divisão é muito importante para conhecer as características que unem e separam as drogas das diferentes famílias. Sabendo isso fica claro porque você aumenta riscos de colaterais muitas vezes quando combina drogas de uma mesma família (testo+diana, deca+trembo), assim como também pode diminuir a eficácia do ciclo, como também pode aumentá-la combinando drogas de diferentes famílias (stano+testo+trembo). Mas isso só fica claro quando outros princípios de sinergia também são conhecidos.

a) TESTOSTERONA E SEU DERIVADOS:
Testosterona e seus ésteres: suspensão (testo sem éster ligado), testosteronas de meia-vida curta (propionato, fenil), testos de meia-vida longa (enantato, cipionato, decanoato), mix de ésteres (durateston, omnadren), dianabol, boldenona, halotestin, turinabol. São drogas que costumam aromatizar, retendo líquido, exceto pelo turinabol e o halotestin. Tanbém sofrem ação da enzima 5-alfa-redutase (conversão em DHT e semelhantes), exceto turinabol.

19-NOR:
Nandrolona e seus ésteres (fenilpropionato, deca), trembolona (acetato, enantato, parabolan). São drogas com alto poder anabólico e também conhecidas pela forte supressão do eixo HPT e possível aumento da prolactina (não comprovado que seja um efeito particular apenas dessas drogas).

c) DERIVADOS DO DHT:
Hemogenin, oxandrolona, stanozolol, primobolan, masteron, proviron. Exceto pelo hemogenin, as drogas dessa família são conhecidas pelos ganhos de qualidade sem retenção de água, e bom poder de queima de gordura.

3) CLASSES 1 e 2:
Considerando a testosterona como a droga de base, com sinergia poderosa com todos os outros tipos e famílias de esteroides o próximo passo é saber como combinar outras drogas na construção de um ciclo mais eficiente do que usando uma combinação aleatória. Muitos caras jogam as drogas aleatoriamente em um ciclo e não vão deixar de ter bons resultados, mas em geral isso é muitas vezes desnecessário e um grande desperdício.
Podemos dividir os esteroides em duas classes, 1 e 2. Chamaremos de classe 1 os esteroides que tem forte ligação ao receptor androgênico (AR), e classe 2 os que têm fraca ligação ao AR (independente do efeito anabólico), sendo sua ação regulada por outros tipos de receptores.
– Classe 1: trembolona, deca, primobolan, boldenona, oxandrolona, masteron, turinabol, proviron
– Classe 2: dianabol, hemogenin, stanozolol, halotestin

4) ATIVIDADE;
Os esteroides apresentam diferentes mecanismos de ação no organismo e combinando drogas com atividades semelhantes você pode potencializar os efeitos positivos e negativos (colaterais) do ciclo.

a1) Aromatização:
É o processo de conversão da testosterona em estrogênio, que pode provocar diversos colaterais como retenção, ginecomastia pressão alta, etc. Drogas que aromatizam: testosterona, deca, dianabol, boldenona .

a2) Anti-estrogênicas:
São drogas que possuem atividade antiestrogênica, controlando colaterais relacionados ao estrogênio aumentado pela aromatização de outras drogas: masteron, primobolan, proviron, stanozol (?).

b1) Progestinas:
São drogas que provocam efeitos por sua atividade progetênica, podendo elevar prolactina e causar colaterais como ginecomastia, inibição severa do eixo HPT. Exemplos: Hemogenin (não é considerado uma progestina diretamente, mas parece elevar prolactina), deca, trembolona.

c) 17 AA (alfa-alquelados):
Quase todos os esteroides causam lesão no fígado, sendo que os 17 alpha-alquelados são os mais tóxicos pela dificuldade de processamento (sobrevivem à primeira passagem pelo fígado). Dessa forma todos sabemos que não é interessante combinar drogas hepatotóxicas ou usá-las por um longo período. As mais hepatotóxicas são hemogenin, dianabol, metiltestosterona, halotestin, stanozolol, enquanto oxandrolona e turinabol são considerados 17AA de baixa hepatotoxicidade.

d) Redução do SHBG:
Um importante mecanismo de ação dos esteroides anabolizantes, muitas vezes ignorado pela maioria dos usuários, está na sua capacidade de reduzir os níveis de SHBG (Sex Hormone Binding Globulin). A Testosterona não ligada (livre) tem atividade biológica, a ligada ao SHBG é inativa. O SHBG age como um modulador da secreção androgênica nos tecidos. Dessa forma, níveis menores de SHBG aumentam a disponibilidade de ação dos andrógenos, uma vez que eles deixam de se ligar ao mesmo. Assim se você faz um ciclo só testosterona e seus níveis de SHBG estão elevados você perde efetividade do ciclo, uma vez que parte da testo se ligará ao SHBG. Você pode aumentar a eficiência do ciclo adicionado uma droga que reduza fortemente o SHBG, além de outros efeitos adicionais da droga logicamente. Exemplos de drogas que mais reduzem o SHBG: stanozolol, turinabol, proviron, hemogenin.

Agora você tem os principais ingredientes para construir um ciclo poderoso.

 

abraços, DUDU HALUCH

REFERÊNCIAS:

http://thinksteroids.com/articles/anabolic-steroid-cycle-design/

http://br.thinksteroids.com/artigos/steroid-cycle-planning/

How to Stack Steroids

Pharmacological Differences Between Anabolic Steroids

ESTEROIDES e FINALIDADE (FORÇA, BULK, CUTTING) (DUDU)

http://fisiculturismo.com.br/mat%C3%A9rias/_/esteroides/protegendo-o-f%C3%ADgado-em-ciclos-de-esteroides-anab%C3%B3licos-r687

http://fisiculturismo.com.br/forum/topic/101290-ester%C3%93ides-e-suas-fam%C3%8Dlias-dudu/

http://www.labhpardini.com.br/lab/endocrinologia/shbg.htm

You may also like

ESTEROIDES e LIBIDO (DUDU)
SINERGIA DOS HORMÔNIOS (DUDU)
Esteroides x Ignorância
Esteroides Anabolizantes

1 Comentário

  1. Pingback : Masteron – Felipe Moraes – Fitness

Deixar um Comentário