6
set
2017
12

PROTEÍNA DE SOJA E SEUS EFEITOS NA SAÚDE

Valor biológico da proteína de soja: 74 (Frango: 79; ovo:100; arroz: 59; leite de vaca: 91; carne vermelha: 80).

SOJA E PERFIL LIPÍDICO:

“As investigações epidemiológicas sugerem que o consumo de soja pode ser associado com uma menor incidência de certas doenças crônicas. Estudos clínicos mostram que a ingestão de proteínas de soja reduz os fatores de risco para doença cardiovascular. Isso levou à aprovação da alegação de saúde rotulagem dos gêneros alimentícios para proteínas de soja na prevenção de doenças coronárias pelo FDA dos EUA em 1999. As petições de saúde similares para proteínas de soja também foram aprovados posteriormente no Reino Unido, Brasil, África do Sul, Filipinas, Indonésia, Coréia e Malásia. No entanto, os benefícios de saúde supostos são bastante variáveis em diferentes estudos. O Comitê de Nutrição da American Heart Association avaliou 22 estudos randomizados realizados desde 1999 e descobriram que a proteína isolada de soja com isoflavonas (ISF) diminuiu ligeiramente de colesterol LDL, mas não teve efeito sobre o colesterol HDL, triglicérides, lipoproteína (a), ou pressão arterial. Os outros efeitos do consumo de soja não foram evidentes. Embora os fatores que contribuem para estas discrepâncias não sejam totalmente compreendidos, a fonte de soja e os procedimentos de processamento da proteína ou ISF se acredita ser importante devido aos seus efeitos sobre o conteúdo intacto e de certas subunidades proteicas bioactivas. Alguns estudos têm documentado a eventuais preocupações de segurança sobre o aumento do consumo de produtos de soja. Impactos dos produtos de soja sobre as funções da tireóide e reprodutivos, bem como em certos tipos de carcinogênese exigem um estudo mais aprofundado neste contexto. No geral, os dados existentes são inconsistentes ou inadequada em apoiar a maior parte dos benefícios de saúde sugeridos de consumo de proteínas de soja ou ISF.” (Health effects of soy protein and isoflavones in humans. Xiao CW)

SOJA E TIREOIDE:

“Os alimentos da soja são um grampo tradicional de dietas asiáticas, mas por causa de seus benefícios para a saúde supostos eles se tornaram populares nos últimos anos entre os não-asiáticos, especialmente as mulheres na pós-menopausa. Há muitos componentes de soja bioativos que podem contribuir para os benefícios de saúde hipotéticas de soja, mas mais atenção centrou-se sobre as isoflavonas, que têm ambas as propriedades hormonais e não hormonais. No entanto, apesar dos possíveis benefícios preocupações foram expressas que a soja pode ser contra-indicado para alguns subgrupos da população. Uma das preocupações é que a soja pode afetar adversamente a função da tireoide e interferir com a absorção do hormônio tireoidiano sintético. Assim, o objetivo desta revisão é avaliar a literatura relevante e fornecer as orientações clínico para aconselhar os seus pacientes sobre os efeitos da soja em função da tireoide. No total, 14 ensaios (função tireoidiana não foi o resultado de saúde primários em qualquer julgamento) foram identificados em que os efeitos de alimentos de soja ou isoflavonas sobre pelo menos uma medida da função da tiroide foi avaliada em indivíduos presumivelmente saudáveis; apenas oito mulheres envolvidas, quatro homens envolvidos, e dois homens e as mulheres. Com apenas uma exceção, quer nenhum efeito ou apenas alterações muito modestos foram observados nestes ensaios. Assim, em conjunto, os resultados fornecem pouca evidência de que em indivíduos eutireóideos sem deficiência de iodo, alimentos de soja ou isoflavonas vão afetar adversamente a função da tireoide. Em contrapartida, algumas evidências sugerem que alimentos de soja, através da inibição da absorção, pode aumentar a dose de hormônio da tireoide exigido por pacientes com hipotireoidismo. No entanto, os adultos com hipotireoidismo não precisam evitar alimentos de soja. Além disso, continua haver uma preocupação teórica com base em in vitro e em dados de pesquisa em animais que, em indivíduos com função tireoidiana comprometida e / ou cuja ingestão de iodo é marginal, alimentos de soja podem aumentar o risco de desenvolver hipotireoidismo clínico. Portanto, é importante para os consumidores de alimentos de soja para certificar-se a sua ingestão de iodo é adequada.” (Effects of soy protein and soybean isoflavones on thyroid function in healthy adults and hypothyroid patients: a review of the relevant literature.
Messina M, Redmond G.).

SOJA E FUNÇÃO REPRODUTIVA:

““Fitoestrógenos são compostos derivados de plantas com estrutura química e atividade hormonal semelhante ao estradiol. Os principais fitoestrógenos são: isoflavona (genisteína, daidzeína), lignanos e coumestanos. Estas substâncias, principalmente as isoflavonas, podem afetar o sistema reprodutivo, glândulas mamárias, hipotálamo e hipófise. A abundância de fitoestrógenos com ação estrogênica é balanceada pela sua ‘baixa afinidade para os receptores de estrógeno’.
Na alimentação da criança tornam-se importantes por estarem presentes nas fórmulas à base de leite de soja. Strom et al. estudando adultos expostos a leite de soja quando crianças não encontraram efeitos adversos sobre a saúde reprodutiva. A Academia Americana de Pediatria 10 não recomenda restrição ao uso dessas fórmulas, afirmando que fitoestrógenos derivados da soja têm baixa afinidade por receptores de estrógeno e baixa potência estrogênica em bioensaios.” (Exposição ambiental a interferentes endócrinos com atividade estrogênica e sua associação com distúrbios puberais em crianças SCIELO).

SOJA E CÂNCER:

“Estudos epidemiológicos mostraram uma diferença significativa na incidência de câncer entre os diferentes grupos étnicos, que se acredita ser parcialmente atribuído a hábitos alimentares. A incidência de câncer de mama e de próstata são muito mais elevados nos Estados Unidos e os países europeus em comparação com os países asiáticos, como Japão e China. Uma das principais diferenças na dieta entre essas populações é que os japoneses e os chineses consomem uma dieta tradicional alta em produtos de soja. As isoflavonas de soja foram identificadas como componentes alimentares que possuem um papel importante na redução da incidência de cancros da mama e da próstata. A genisteína, as isoflavonas predominantes encontrados em soja, tem sido demonstrado que inibem a carcinogênese em modelos animais. Há crescente corpo de evidências experimentais que demonstram a inibição de células cancerosas humanas por genisteína, por meio da modulação de genes que estão relacionados com o controle do ciclo celular e da apoptose. Além disso, foi demonstrado que a genisteína inibe a ativação das vias de sinalização NF-kappa B e Akt, ambas as quais são conhecidas para manter um equilíbrio homeostático entre a sobrevivência celular e apoptose. A genisteína é vulgarmente conhecido como fitoestrogênio, que tem como alvo estrógeno e mediada por vias de sinalização de androgênio nos processos de carcinogênese. Além disso, a genisteína tem-se verificado que têm propriedades antioxidantes e demonstrou ser um inibidor potente da angiogênese e metástases. Tomados em conjunto, dados tanto in vivo como in vitro têm claramente demonstrado que a genisteína, um dos principais isoflavonas de soja, é um reagente promissor para quimioprevenção e / ou tratamento do cancro. (Soy isoflavones and cancer prevention. Sarkar FH1, Li Y).

“Entre as mulheres com câncer de mama, o consumo de alimentos de soja foi significativamente associada com diminuição do risco de morte e recorrência.” (Soy food intake and breast cancer survival.
Shu XO, Zheng Y, Cai H, Gu K, Chen Z, Zheng W, Lu W.).

“A genisteína e daidzeína foram associados a um menor risco de câncer de próstata. Esta revisão sistemática sugere que o consumo de alimentos de soja pode reduzir o risco de câncer de próstata. Esta conclusão, no entanto, devem ser interpretados com cautela, porque vários preconceitos podem afetar os resultados de uma meta-análise.” (Soy food consumption and risk of prostate cancer: a meta-analysis of observational studies. Hwang YW, Kim SY, Jee SH, Kim YN, Nam CM.).

Da próxima vez que ver algum artigo sensacionalista demonizando a soja, questione o embasamento científico, pesquise as fontes. Os artigos citados aqui estão entre os mais citados no pubmed para cada assunto pesquisado, incluindo estudos mais completos, como meta-análises.

abraços, Dudu Haluch

Post Original: duduhaluch.com.br/proteina-de-soja…efeitos-na-saude/ ‎

Deixar um Comentário