2
jun
2014
0

MULHERES: MASSA MUSCULAR e HORMÔNIOS (DUDU)

anticoncepcional, esteroides, antiandrógenos

Os contraceptivos orais combinados (COCs) reduzem os níveis de androgénio, principalmente a testosterona (T) , através da inibição da síntese de androgénio do ovário e adrenal e aumentando os níveis de globulina ligadora dos hormônios sexuais (SHBG ). Devido ao aumento de SHBG , os níveis livres T diminuir o… dobro do total de T. A dose de estrogênio e progestina tipo do COC não influenciam o declínio da T total e livre, mas ambos afetam SHBG [1]. Níveis mais elevados de SHBG significam menor disponibilidade de androgênios. O uso de anticoncepcional oral prejudica ganhos musculares em mulheres jovens que foram associados com menor DHEA, DHEAS e IGF1 e maior cortisol. O ganho de massa magra reduzido pode estar relacionado com a androgenicidade da progestina que pode se ligar ao receptor androgênico e inibir a sua função [2]. Um estudo também mostrou que o uso de antiandrogênios reduziu a força em mulheres jovens, quando comparadas com mulheres que usavam estrogênio-progesterona [3]. Drogas antiandrogênicas (espironolactona, acetato de ciproterona) são comuns no tratamento da síndrome do ovário policístico (SOP) para combater os efeitos associados ao hiperandrogenismo (hirsutismo, acne, queda de cabelo, amenorréia), mas por bloquearem efeitos androgênicos acabam resultando em efeito catabólico. Tamanho muscular em mulheres com SOP foi positivamente correlacionado com os níveis de andrógenos no soro e distribuição de gordura corporal superior, independente da altura [4]. Mulheres com SOP acabam acumulando gordura pois muitas apresentam resistência à insulina, e consequentemente hiperinsulinemia, que também reduz níveis de SHBG e aumenta testosterona livre.

As mulheres que usam esteroides androgênicos sofrem com colaterais porque tendem a começar abusando. O mais comum, a mulherada usa 30mg dia de stano oral ou 1ml dsdn de injetável, ganha uns 5-7kg, aí depois fica zuada de colaterais, que são potencializados pelo crash hormonal pós-ciclo (depressão, baixa libido, ganho de gordura). Mas se usasse uma dose menor as coisas não seriam tão drásticas assim, e provavelmente o ganho liquido final seria semelhante. O fato é que ganhos acima de ~4kg já são muito grandes para mulher, o que significa q a dose é excessiva, então esses colaterais são consequência. Como vimos, o uso do anticoncepcional naturalmente compromete os ganhos por afetar níveis de hormônios anabólicos (testosterona, IGF-1) aumentando SHBG, e também por ter uma atividade direta naturalmente oposta aos androgênios, então o uso durante um ciclo tende a comprometer os ganhos.

Mulheres experientes que abusam de esteroides tendem a se adaptar ao abuso e fazer uso contínuo, aceitando os colaterais virilizantes e masculinizantes (perda dos seios, engrossamento da voz, hipertrofia do clitóris), mas atletas experientes de categorias mais femininas, como wellness, biquíni, apresentam bons resultados em doses menores, sem necessidade de uso contínuo muitas vezes, ou abuso, e assim não correm risco de ter tantas perdas e colaterais com variações hormonais agressivas. Estratégia é algo fundamental, e a gente só aprende com os anos de experiência, mas algumas meninas novatas e pouco experientes ainda acreditam que o segredo de um shape bonito é o abuso, quando nós sabemos que o abuso está não só associado a grandes ganhos de massa muscular, como também colaterais mais agressivos, como a masculinização. E como vimos, usar drogas antiandrogênicas para combater colaterais acaba também por destruir sua preciosa massa muscular ganha no ciclo. No corpo de uma mulher a silhueta é muito dependente da genética e dos próprios hormônios femininos (estrogênio), e só o treinamento e a dieta podem dar a direção correta para que os ganhos de massa muscular com androgênios anabólicos sejam otimizados e colocados no lugar certo, e esses ganhos devem ser lentos e sem abuso para que sejam consolidados, e para que os colaterais e as variações hormonais agressivas não coloquem tudo por água abaixo.

[1] The effect of combined oral contraception on testosterone levels in healthy women: a systematic review and meta-analysis.
Y. Zimmerman et al.

[2] Oral Contraceptive Use Impairs Muscle Gains in Young Women

[3] Antiandrogens in hormonal contraception limit muscle strength gain in strength training: comparison study.
Ruzić L. et al.

[4] Serum Androgen Levels and Muscle Mass in Women With Polycystic Ovary Syndrome
DOUCHI et al.

abraços, DUDU HALUCH

Leia mais

1 Comentário

Deixar um Comentário