24
dez
2018
3

MODELO DE EMAGRECIMENTO DINÂMICO

No curso de nutrição não se aprende quase nada sobre emagrecimento e o pouco que se aprende tem grandes equívocos. Não sendo injusto com os nutricionistas, na educação física e na medicina provavelmente é pior.

Um dos grandes equívocos é a ideia que a perda de peso é um processo linear e que ao reduzir ~500 kcal por dia (3500 kcal/semana) isso irá promover uma perda de peso de aproximadamente 2 kg por mês, considerando que 1kg de tecido adiposo precisa de um déficit calórico de ~7700 kcal. No entanto, qualquer pessoa mais atenta percebe que a perda de peso não é um processo linear e conforme o tempo passa a perda de peso/gordura se torna mais difícil. As pessoas interpretam isso como “metabolismo lento”. De fato, durante a perda de peso ocorrem adaptações fisiológicas (termogênese adaptativa) que reduzem o nosso metabolismo basal e o nosso gasto energético diário além daquilo que seria esperado pela perda de peso.

Sendo assim, com um déficit calórico de ~500 kcal/dia o modelo estático de emagrecimento (que ignora as adaptações fisiológicas) prevê uma perda de ~22 kg em 1 ano, mas o modelo dinâmico de emagrecimento (que considera as adaptações fisiológicas) prevê apenas metade disso (~10-12kg).

Existe também grande variabilidade individual na perda de peso, de forma que alguns indivíduos perdem gordura mais facilmente que outros. Indivíduos obesos também perdem mais gordura do que magros no longo prazo, mas atingem o platô em um peso superior. Um modelo dinâmico de emagrecimento considera esses fatores. Apesar dessa redução do gasto energético com o emagrecimento, esse não parece ser o principal fator que leva boa parte das pessoas a recuperar o peso perdido.

abraços, Dudu Haluch

Figura:
Can a Weight Loss of One Pound a Week be Achieved With a 3,500 kcal Deficit? Commentary on a Commonly Accepted Rule
Diana M. Thomas et al.

Leia mais

Deixar um Comentário