24
out
2017
13

LOW CARB e BIOQUÍMICA SEM SENSACIONALISMO

Os benefícios metabólicos de uma dieta low carb podem ser até superiores em relação a dietas baixas em gordura, mas no longo prazo os resultados em perda de peso tendem a ser semelhantes, além da tendência de ganho de peso após sair da dieta. Por isso o melhor é evitar os extremismos e começar uma dieta zerando ou cortando carboidratos ao extremo é um grande erro na minha opinião. Além disso, não sou adepto de modismos dietéticos e durante a restrição gradativa de carboidratos eu prefiro aumentar proteínas e fibras para manter a saciedade e obter um efeito metabólico adicional, pelo efeito térmico das proteínas.

Não sou contra dieta cetogênica, mas acredito uma dieta low carb/high protein é superior para quem deseja otimização da composição corporal. Apesar de uma possível “vantagem metabólica” das dietas low carb no início do processo de perda de peso, esse efeito parece perdido no longo prazo (segundo as principais evidências) e ciclar carboidratos ao meu ver é a melhor estratégia, pois pode otimizar a queima de gordura fazendo UP regulation nos níveis de leptina e até aumentando o gasto energético.

É sempre bom lembrar que nosso metabolismo é dinâmico e as “adaptações metabólicas” (redução do metabolismo basal, da leptina, aumento da eficiência mitocondrial) tornam o processo de perda de peso/gordura cada vez mais difícil, favorecendo um efeito rebote de peso. Isso acontece principalmente com aqueles indivíduos que usam estratégias extremistas de perda de peso, perdendo peso muito rápido e seguindo modismos dietéticos radicais (proibindo muitos alimentos) que aumentam o risco de desenvolvimento de compulsão alimentar. A maioria das pessoas que fazem dieta fracassa pq ignora completamente o que foi dito aqui. Mesmo para quem faz tudo sem extremismo é inevitável sofrer adaptação metabólica.

Dudu Haluch

Leia mais

Deixar um Comentário