4
jan
2014
8

hCG – PERFIL (por ESTEVAM LUIZ)

GONADOTROFINA CORIÔNICA HUMANA (HCG) – PERFIL  (por ESTEVAM LUIZ, endocrinologista)
A GONADROTOFINA CORIÔNICA HUMANA (HCG) é uma medicação produzida a partir da gonadotrofina humana. A GONADOTROFINA CORIÔNICA é um hormônio polipetídeo normalmente encontrado em mulheres nos primeiros meses de gravidez. É produzida nas células do sinsiciotrofobasto da placenta e é responsável pelo aumento da produção de progesterona, um hormônio que mantem a gestação. Os níveis sanguíneos desse hormônio tornam-se notáveis no inicio do sétimo dia apos a ovulação e aumenta para um pico de aproximadamente 2 a 3 meses de gestação. Após esse período, os seus níveis caem gradualmente até os níveis pré gravidez.
A AÇÃO do HCG é reproduzir a ação do hormônio luteinizante (LH). Seu uso na clínica é como uma substância exógena que imita a ação do LH. Sendo assim usada para manter a gravidez, mais especificamente aquelas que sofrem de infertilidade decorrente das baixas concentrações de gonadotrofinas e uma inabilidade de ovular. Pelo fato do LH estimular as células de Leyding a produzir testosterona, o HCG é também usado em homens no tratamento hipogonadismo hipogonadotrófico, uma desordem clínica caracterizada por níveis baixos de testosterona e uma produção baixa de LH. O HCG também é usado no tratamento do criptorquidismo, uma condição clinica que um ou ambos os testículos falham em descer para a bolsa escrotal. Outro uso do HCG seria em homens atletas com o objetivo de aumentar a produção endógena de testosterona, geralmente durante ou ao término de um ciclo de esteroides, quando a produção normal fora interrompida.
HISTÓRICO DO HCG:
O HCG foi descoberto em 1920, sendo identificado como um hormônio da gestação aproximadamente 8 anos depois. A primeira medicação contendo HCG veio por meio de um extrato de pituitária de animal, comercializado pela ORGANON. A ORGANON introduziu o extrato no comercio em 1931, com o nome comercial de PREGNON, que posteriormente mudou para PREGNYL, que é encontrada até hoje no mercado americano. Entretanto em 1940 esse hormônio passou a ser obtido por meio da purificação e filtração de urina de mulheres grávidas.
O HCG é mundialmente conhecido como indispensável na terapia de ovulação em muitos casos de infertilidade feminina. Preparações industrializadas nos Estados Unidos do HCG são PREGNYL (Organon), PROFASI (Serono) e NOVAREL (Ferring). Essa droga também é produzido em outras partes do mundo com outros nomes comerciais. Atletas e fisioculturistas usam também o HCG para o tratamento do hipogonadismo (parada da produção normal de testosterona) produzido pelos esteroides.
CARACTERISTICAS ESTRUTURAIS DO HCG:
O HCG é uma glicoproteína composta de 244 amino ácidos. Tem uma subunidade alfa a partir  do aminoácido 92 que é idêntico ao hormônio luteneizante (LH), hormônio folículo estimulante (FSH) e hormônio tiroide estimulante (TSH) e uma outra subunidade, a beta que é única ao HCG.
COMO É ADMINISTRADO O HCG:
O HCG é disponível no mercado de medicamentos humano e veterinário. A composição e apresentação são ampolas que pode variar de 1.000, 1.500, 2.500, 5.000 ou 10.000 unidades internacionais (UI) por dose. Em todas as apresentações o HCG é liofilizado (em pó), devendo ser reconstituído com um diluente (água bidestilada estéril) antes do uso. UMA VEZ RECONSTITUIDO SEU USO DEVERÁ OCORRRER DENTRO DE 30 DIAS (O HCG HUMANO, MAS JÁ O DE USO VETERINÁRIO NA BULA CONSTA PARA SER USADO DENTRO DE 24H, MAS EU PESSOALMENTE LIGUEI PARA O LABORATORIO E ME INFORMARAM QUE TECNICAMENTE PODERA SER USADO DENTRO DE 30 DIAS). A CONSERVAÇÃO APOS A DILUIÇÃO DEVERÁ SER FEITA DENTRO DA GELADEIA (NUNCA NO FREEZER, E SIM NA GELADEIRA!!!!)
O HCG geralmente é administrado via injeção intra-muscular (IM). A via subcutânea (SC) é também utilizada, e na minha opinião a mais prática. A efetividade da via IM é a mesma da via SC. O pico de concentração do HCG via IM é de 6 horas após a administração e 16 a 20 horas após a ingestão SC. A sua vida média é de 4 dias.
ADMINISTRAÇÃO EM HOMENS:
Quando usado para o tratamento do hipogonadismo hipogonadotrófico existem protocolos de curto período, 6 semanas, e de longo período, podendo chegar até 1 ano, dependendo da necessidade individual de cada paciente.
Guidelines para o protocolo curto recomenda de 500 a 1.000 UI administrada 3 vezes por semana durante 3 semanas, seguida pela mesma dose administrada 2 vezes por semana por mais 3 semanas.
Para o protocolo de longa duração recomenda 4.000 UI administrada 3 vezes por semana por 6 a 9 meses, e após esse período, a dosagem é reduzida para 2.000 UI 3 vezes por semana por mais 3 meses.
FISICULTURISTAS E ATLETAS usam o HCG tanto durante o ciclo, com a finalidade de manter a integridade testicular durante a administração dos esteroides e / ou após o ciclo, para restaurar a homeostase hormonal mais rapidamente. Ambos as maneiras de uso são considerados efetivos.
PÓS CICLO:
O HCG é frequentemente usado com outras medicações como parte do programa de TERAPIA PÓS CICLO (TPC) que foca na restauração endógena da produção de testosterona mais rapidamente no final de um ciclo de esteroides.
Restaurar a produção endógena de testosterona é uma preocupação especial  ao final de cada ciclo. Uma outra preocupação é a ação do cortisol, que de várias maneiras é equilibrado pelo efeito dos andrógenos. O cortisol envia uma mensagem oposta ao da testosterona aos músculos, ou seja degrada a proteína muscular. Se nada for feito em relação a baixa da testosterona, o cortisol pode rapidamente inibir a síntese do novo músculo.
Protocolo de uso do HCG no pós ciclo varia de 2.000 a 3.000 UI a cada 2 ou 3 dias administrado por um período não maior que 2 a 3 semanas. Quando usado por um período muito logo ou numa dose muito grande, o HCG pode levar a uma desensibilização das células de Leyding em produzir o hormônio luteneizante (LH), o que retarda o retorno a homeostase.
DURANTE O CICLO:
Fisiculturistas e atletas geralmente também usam o HCG durante o ciclo de esteroides, com o objetivo de evitar a atrofia testicular e consequentemente a redução da habilidade do mesmo em responder ao estímulo do LH.
É importante lembrar que a dosagem do HCG precisa ser cuidadosamente monitorizada para esse tipo de uso, uma vez que altas doses de HCG pode causar aumento da atividade da aromatase testicular (que levará a um aumento da conversão de testosterona em estrogênio, e consequentemente aumento deste hormônio no sangue), e também a desensibilização do LH.
A dosagem média do HCG usado durante o ciclo é de 250 UI SC a cada 3 ou 4 dias durante todo o ciclo de esteroide. Doses maiores pode ser necessária em alguns casos, mas não devendo exceder 500 UI por aplicação.
ADMINISTRAÇÃO DO HCG EM MULHERES:
A dosagem para indução da ovulação e gestação em mulheres com ciclos anovulatório e inférteis é  de 5.000 a 10.000 UI administrado em um dia.
O HCG não é usado em mulheres com objetivos de melhorar a performance e o físico, como utilizado em homens.
DISPONIBILIDADE:
O HCG é apresentado no mercado brasileiro sob o nome de BREVACTID, CHORIONON, CHORAGON, PREGNYL, entre outras, inclusive na forma veterinária, que aqui não será abordada.
DUVIDAS E SUGESTOES: drestevamluiz@hotmail.com
autor: Dr. Estevam Luiz

 

Leia mais

4 Comentários

Deixar um Comentário