5
mar
2018
10

GLÚTEN segundo as evidências científicas

Se você pesquisar sobre GLÚTEN em artigos científicos e não em blogs de pseudoespecialistas (gurus, médicos que não são cientistas), não vai encontrar bons estudos que justifiquem a retirada de alimentos com glúten da dieta. Mais provável encontrar o oposto, estudos que mostram benefícios no consumo de grãos integrais (que contêm glúten), como redução do risco de doenças cardiovasculares e da mortalidade, além de melhora da microbiota intestinal. Uma dieta sem glúten é muitas vezes associada com obesidade e síndrome metabólica, pois pessoas que retiram grãos integrais da dieta acabam muitas vezes aumentando o consumo de carboidratos refinados e de alto índice glicêmico (arroz branco, batata frita, açúcar etc). Alguns indivíduos realmente são intolerantes ao glúten, não apenas pessoas com doença celíaca. Nessas situações a retirada do glúten da dieta é justificada, principalmente se você observa melhoras de sintomas gastrointestinais (diarreia, constipação, inchaço). A dieta Mediterrânea é um bom exemplo de dieta associada a longevidade e que incorpora gorduras saudáveis, frutas, vegetais com grão integrais (que contêm glúten) e laticínios (queijo, iogurte). “Barriga de trigo” não é referência científica ;)

REFERÊNCIAS:
1) Long term gluten consumption in adults without celiac disease and risk of coronary heart disease: prospective cohort study

2) Mediterranean diet, lifestyle factors, and 10-year mortality in elderly European men and women: the HALE project.

3)Effects of a gluten-free diet on gut microbiota and immune function in healthy adult humans

Leia mais

Deixar um Comentário