11
set
2013
1

ESTEROIDES E O CORAÇÃO (pressão, colesterol, infarto)

DO CORAÇÃO MORREM OS BODYBUILDERS

COLESTEROL E PRESSÃO SEMPRE EM DIA MEUS AMIGOS

Dead Bodybuilders

http://www.youtube.com/watch?v=J7C0r04vwjE

“os efeitos de um vigoroso esquema de treinamento com pesos, o uso de esteróides anabolizantes, e a sensibilidade androgênica, pode ter predisposto esses homens jovens a lesões do miocárdio e subseqüente morte súbita.”
http://ciencia-atual.blogspot.com.br/2008/04/morte-sbita-por-abuso-de-esterides.html

Blood pressure and rate pressure product response in males using high-dose anabolic androgenic steroids (AAS).
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14609147

Abnormal neurovascular control in anabolic androgenic steroids users.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19997008
“Além disso, o aumento nos níveis de pressão arterial em usuários de AAS está associada com aumentada fluxo simpático . Estes resultados sugerem que AAS aumenta a susceptibilidade para doenças cardiovasculares em humanos.”

Cardiac and metabolic effects of anabolic-androgenic steroid abuse on lipids, blood pressure, left ventricular dimensions, and rhythm.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20816133
” Jovens atletas saudáveis abusando AAS podem apresentar níveis elevados de lipoproteínas de baixa densidade e baixos níveis de lipoproteína de alta densidade . Embora os dados são conflitantes , AAS também têm sido associadas com elevada pressão arterial sistólica e diastólica e com hipertrofia ventricular esquerda, que pode persistir após a cessação AAS . Finalmente, em pequenos estudos de caso , o abuso de AAS tem sido associada com infarto agudo do miocárdio e arritmias ventriculares fatais . Em conclusão , o reconhecimento desses efeitos adversos pode melhorar a educação dos atletas e aumentar a vigilância na avaliação de jovens atletas com anomalias cardiovasculares.”

Effects of androgenic-anabolic steroids in athletes.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15248788
” Por outro lado, o treinamento de resistência , sem a ingestão de AAS não conduz a um aumento da espessura da parede ventricular. AAS não afetam a função sistólica do ventrículo esquerdo , ao passo que a função diastólica pode ser prejudicada. Diferentes alterações ultra-estruturais do miocárdio foram documentados em estudos com animais . Além disso , o AAS podem induzir a hipertensão arterial . Coagulação sanguínea e fibrinólise são afetados negativamente , e vários estudos de caso de trombos existem em jovens atletas de força . Alterações na concentração de lipoproteínas no sangue , em particular uma redução no recipiente protector de HDL-colesterol , podem levar a aterosclerose precoce . Muitos relatos existem sobre mortes cardíacas em indivíduos aparentemente saudáveis – mais construtores de corpo muitas vezes e outros atletas de força . Em infartos do miocárdio fatais e não fatais artérias coronárias patentes foram comprovadas com freqüência. Além dos efeitos pró-trombóticos de AAS , uma função endotelial prejudicada e vasoespasmo são discutidos hipoteticamente como pathomechanisms . Além disso, cardiomiopatias pode ocorrer devido a abuso de AAS . Na base dos possíveis efeitos secundários cardiovasculares descritos , pode concluir-se que, em casos de morte súbita em atletas jovens , um desvio de AS deve ser excluído.”

Androgenic anabolic steroid abuse and the cardiovascular system.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20020375
“As mudanças mais importantes são elevações concomitantes de LDL e diminuição de HDL , efeitos que aumentam o risco de doença arterial coronariana. E, finalmente, (6 ) a utilização dos EAA parece conferir um aumento do risco de arritmia com risco de vida que conduzem à morte súbita, embora os mecanismos subjacentes ainda estão longe de ser elucidados. Tomados em conjunto, várias linhas de evidência que envolvem uma variedade de mecanismos patofisiológicos sugerem um risco aumentado de doença cardiovascular em utilizadores de esteróides androgénicos anabólicos.”

 

Long-Term Anabolic-Androgenic Steroid Use Is Associated With Left Ventricular Dysfunction

http://circheartfailure.ahajournals.org/content/3/4/472

http://www.sciencedaily.com/releases/2010/04/100427171802.htm

http://www.cfcp.com.br/a/index.asp?n=31365&lg=pt

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=42148&op=all

 “O uso prolongado de esteroides anabolizantes enfraquece o coração mais do que até agora se julgava, concluiu um estudo, publicado na revista Circulation: Heart Failure, que afirma que os esteroides reduzem a capacidade de contração e relaxamento do coração, o que aumenta a predisposição para a insuficiência cardíaca.

A equipe do Hospital Universitário de Harvard, liderada por Aaron L. Baggish, analisou 21 halterofilistas, 12 dos quais consumiram, em média, 675 miligramas de esteroides por semana nos últimos nove anos.Com recurso ao doppler, os investigadores estudaram o funcionamento do ventrículo esquerdo, uma câmara muscular poderosa responsável por bombear o sangue.

“Acreditava-se, até agora, que os esteroides provocavam hipertrofia cardíaca. Mas não foi isso que verificámos”, diz Baggish.

O que os investigadores observaram foi a perda de capacidade de contração e relaxamento do coração. Na realidade, os cientistas registaram uma fração de ejeção abaixo do normal em dez utilizadores de esteroides.

No grupo de controle, apenas um não cumpriu os requisitos normais.

Também a eficiência de relaxamento foi afetada, com metade dos consumidores de esteroides a sofrerem uma redução.

“Os esteroides anabolizantes, além de serem ilegais, têm importantes consequências para a saúde”, disse Aaron L. Baggish, principal autor do estudo e professor no Departamento de Medicina do Hospital Geral de Massachusetts em Boston. “Acho que pela primeira vez, estamos começando a perceber que o coração é um dos órgãos que é impactado negativamente pelo uso prolongado de esteroides”.
No estudo, os pesquisadores descobriram que o ventrículo esquerdo, a câmara de bombeamento principal do coração, foi significativamente menor durante a contração (função sistólica) nos participantes que tinham tomado esteroides comparados com um grupo similar de não-usuários de esteroides.
Um saudável ventrículo esquerdo bombeia para fora 55 a 70% do sangue que enche o coração (uma medida conhecida como fração de ejeção). Oitenta e três por cento dos usuários de esteroides no estudo de 12 pessoas teve uma baixa capacidade de bombeamento (fração de ejeção inferior a 55%) que estudos anteriores ligaram ao aumento do risco de insuficiência cardíaca e morte súbita. Em contraste, apenas um dos não-usuários de esteroides teve uma baixa fração de ejeção.
Os usuários de esteroides também exibiram disfunção diastólica, que é quando o ventrículo esquerdo relaxa e se enche de sangue. Os pesquisadores mostraram que o relaxamento do ventrículo esquerdo entre os usuários de esteroides foi reduzida quase pela metade. A estrutura do ventrículo esquerdo foi semelhante em ambos grupos analisados.
“O número de pessoas analisadas foi reduzido e os dados necessitam de ser confirmados, mas os resultados deste estudo piloto sugerem que o uso de anabolizantes aumenta o risco de insuficiência cardíaca”, conclui o especialista.
Os autores concluíram que a disfunção cardíaca utilizadores AAS a longo prazo parece ser mais grave do que anteriormente relatado e podem ser suficientes para aumentar o risco de insuficiência cardíaca.
Dia 09/09/2013 Lee Priest que chegou a bater pressão arterial 23×15. Olhos vermelhos por que os vasinhos não aguentaram e estouraram. Ou seja, pra ter um AVC não faltou muito, teve sorte.

ABRAÇOS, DUDU HALUCH

2 Responses

  1. Verdade

    Eu comecei a ter problemas de hipertensão e interropi os esteroides. Penso que esse problema é muito mais comum do que se pode imaginar. Quando vemos videos de marombas no youtube, podemos notar que muitos deles “puxam” a respiração com mais força… A questão é que quem tem algum problema não comenta, talvez, por verginha.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.