10
dez
2016
10

O GRANDE DEBATE SOBRE A GORDURA

O GRANDE DEBATE SOBRE A GORDURA

Em 2010 ocorre um debate entre 4 dos maiores especialistas no estudo de gorduras e saúde cardiovascular (Walter C. Willett, MD, DrPH; Lewis H. Kuller, MD, DrPH; Dariush Mozaffarian, MD, DrPH; and Alice H. Lichtenstein).
Apesar de algumas divergências em certos pontos, todos eles concordaram em alguns pontos. De forma geral eles concordam que a gordura total da dieta não é uma preocupação para doenças cardiovasculares (DCV) e sim o tipo de gordura. Eles entendem que a gordura trans deve ser retirada da dieta e que a gordura saturada deve ser limitada (na faixa de 10%). Mesmo que as evidências mostrem que substituir gordura saturada por poli-insaturada diminua o risco de DCV, os pesquisadores tem se preocupado com o aumento do consumo de carboidratos refinados no lugar da gordura saturada, pois isso aumentaria o risco de DCV (aumento dos triglicerídeos e redução do HDL). Vou postar aqui os pontos que os pesquisadores concordam:

● Os pesquisadores concordam que substituir gorduras saturadas por PUFAs (poli-insaturadas) saudáveis é benéfico para a saúde e as DCV (doenças cardiovasculares), um parecer fundamentado pela Organização para a Alimentação e Agricultura e relatório da Organização Mundial da Saúde (19), que concluiu que “prova convincente de que a substituição de gorduras saturadas por PUFA reduz o risco de CHD. ”

● A ingestão total de gordura não é tão importante como tipo de gordura.

● As gorduras monoinsaturadas fornecem semelhante, mas menor efeito sobre o LDL e Colesterol ratio do que os PUFA (19).

● Os ácidos graxos ômega 3 são benéficos e devem ser incluídos na dieta pelo menos duas vezes por semana.

● As gorduras trans são insalubres e devem ser reduzidas ao mínimo porque diminuem o HDL e aumentam o colesterol total
(19).

● As diretrizes dietéticas baseadas em alimentos são essenciais para ajudar os consumidores a escolhas alimentares mais saudáveis.

● Em vez de defender uma dieta de baixa gordura, a ciência da nutrição e comunidade da saúde deve enviar uma mensagem que encoraja o balanço calórico e comer mais gorduras saudáveis ​​de grupos de alimentos Recomendado pela DGA de 2010 (1).

● A proporção de ácidos graxos ômega-3 para ômega-6 é exagerada e não é uma preocupação.

Alguns pontos importantes para os profissionais de saúde:

● Use óleos vegetais líquidos (mistura de MUFAs e PUFAs) sempre que possível.

● Quando forem necessárias gorduras sólidas, apenas produtos trans-fat-free e manter a ingestão de gordura trans o mais baixo possível.

● Calcular as calorias com ênfase na redução de amido, açúcares e carboidratos refinados e gorduras não saudáveis. E lembre-se que as gorduras dietéticas nunca são puras PUFA, MUFA (Monoinsaturadas), ou SFA (saturadas).

● Fale alimentos não químicos. Baseado em alimentos
recomendações são o que os consumidores relatam e devem ser o fundamento do nosso conselho.

● Encorajar frutas, vegetais, grãos integrais, e carboidratos intactos como fontes preferidas de carboidratos em vez de carboidratos refinados, açucarados.

● A evidência contra a gordura saturada pode não ser tão forte como a as diretrizes dietéticas têm interpretado, mas o que é claro é que PUFAs (especialmente) e MUFAs são gorduras saudáveis.

● As gorduras saturadas não devem ser visualizadas como bom para você, mas no contexto de uma dieta saudável, equilibrada em calorias, há espaço para elas.

● As dietas com pouca gordura não são necessariamente saudáveis, especialmente se elas incluem carboidratos refinados. No entanto, um baixo teor de gordura, dieta rica em carboidratos tem o potencial de ser cardioprotetor, desde que a maioria dos carboidratos são minimamente processados ​​(17).

● Os profissionais da dietética devem flexíveis com teor de gordura desde que permaneçam dentro dos limites do IOM.

● Os padrões dietéticos são mais importantes do que componentes dietéticos isolados, e pesquisa é bastante consistente que um padrão alimentar saudável inclui frutas, vegetais, grãos integrais (não processados), peixe, carne magra, produtos lácteos com baixo teor de gordura e óleos vegetais.

● O equilíbrio calórico deve focar-se na qualidade não quantidade na seleção dos alimentos.
The great fat debate: a closer look at the controversy-questioning the validity of age-old dietary guidance.
Zelman K (2011)

Leia mais

Deixar um Comentário